|
Divulgado novo relatório da Rede Paulista de Ouvidorias
Dados se referem ao 2º semestre de 2017; pedidos de informação são maioria

A Rede Paulista de Ouvidorias, composta por 384 ouvidorias, atendeu a 544.446 manifestações no segundo semestre de 2017, registrando aumento de 1% em comparação ao segundo semestre de 2016, calculado sobre as 537.727 manifestações registradas naquele período. A maioria delas é feita por telefone (43%) seguida pela internet (27%). Pedidos de informação são o principal motivo de acionamento de uma Ouvidoria (61%), sendo que 24% dos usuários fizeram reclamações, 12% registraram elogios, 1% denunciou algo e 1% ofereceu alguma sugestão. Os dados constam do mais recente relatório da Rede Paulista de Ouvidorias, divulgado pela Ouvidoria Geral do Estado de São Paulo (OGE).

 “Este ano entra em vigor, nacionalmente, a nova Lei de Defesa do Usuário dos Serviços Públicos, que exigirá avaliação de todos os serviços públicos. Em São Paulo isso já é realidade, tanto pelos resultados expostos neste Relatório da Rede Paulista de Ouvidorias, compreendendo o período de 1º de julho a 31 de dezembro de 2017, com dados estatísticos quantitativos e qualitativos registrados pelas Ouvidorias das Secretarias de Estado e respectivos entes vinculados, como também pela avaliação dos serviços prestados pelas próprias Ouvidorias” afirma o ouvidor geral do Estado, Gustavo Ungaro.

Os serviços mais demandados junto às Ouvidorias em âmbito estadual, no segundo semestre de 2017, foram a Saúde, com  244.145 manifestações, seguida das Concessionárias de energia, transporte rodoviário e respectivas Agências Reguladoras, com 158.294, setores congregados na Secretaria de Governo, e Saneamento e Recursos Hídricos na sequência, com  50.805 registros.    

O relatório deste ano traz os resultados da avaliação da satisfação quanto ao atendimento prestado pelas Ouvidorias - um breve questionário que o usuário tem a opção de responder ao final do atendimento realizado pela internet. Os resultados trazem dados positivos e negativos: quase 70% dos cidadãos manifestam intenção de novamente utilizar uma Ouvidoria, cujo atendimento foi considerado bom e muito bom por mais da metade dos usuários, os quais, contudo, ainda assim se dizem insatisfeitos (52%). “Eis o permanente desafio de aprimoramento da eficiência e dos resultados da gestão pública, para bem atender aos cidadãos – propósito reforçado pelas próprias atribuições da Ouvidoria Geral do Estado, criada há 3 anos pelo Decreto n. 61.175/2015, em conformidade com a Lei n. 10.294/99, e que deve estar sempre a serviço da cidadania”, diz Ungaro. O relatório completo pode ser visto aqui: https://tinyurl.com/y9zgetrz